Guarulhosweb
WhatsApp:(11) 9 4702.3664

Transferência de recursos das obras no Baquirivu para Campinas prejudica Guarulhos

Antonio Boaventura - GuarulhosWeb    20/05/2016 14:46

 

Apesar do governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmar em março deste ano que o Estado de São Paulo não corre mais o risco de sofrer com problemas de abastecimento, o DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) justificou a transferência da verba de R$ 700 milhões reservados para investimento em obras de canalização do rio Baquirivu-Guaçu para a bacia PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí) por decorrência da crise hídrica que atingiu o Estado em 2014. A medida é bastante criticada na cidade. O vereador Eduardo Barreto (PCdoB) afirma que a decisão significa a falta de prioridade que o Governo do Estado dá para Guarulhos. 
 
O DAEE também esclarece que a decisão de priorizar a construção das barragens de Pedreira e Duas Pontes, na bacia do PCJ (Piracicaba, Capivari e Jundiaí), abaixo do complexo Cantareira, que abastece a Região Metropolitana de São Paulo, é decorrente da crise hídrica que atingiu o Estado de São Paulo em 2014, conforme explicitado na exposição de motivos que acompanha a proposta do Projeto de Lei 123/2016, este aprovado em sessão parlamentar da Assembleia Legislativa na última quarta-feira, 18. 
 
O departamento entende que, neste momento em que o país passa por uma grave crise econômica, a melhor decisão seria a de implementar uma solução que permitirá aproveitar de maneira eficiente os recursos disponíveis tanto para aumentar de maneira significativa a disponibilidade de água para abastecimento das Regiões Metropolitanas de São Paulo, o que inclui a população de Guarulhos, e Campinas; quanto para minimizar o risco de enchentes em um importante trecho da bacia do rio Baquirivu-Guaçú. 
 
Em contrapartida, o DAEE ressalta que o projeto de canalização do rio Baquirivu-Guacú está mantido. A construção do piscinão RBA-05 é sua primeira etapa. Os projetos já estão concluídos e o DAEE já obteve a licença ambiental para execução das obras. O Governo do Estado iniciará o processo de licitação assim que o PL 123/2016 for aprovado. Localizado a aproximadamente 2 quilômetros acima do aeroporto de Cumbica, o piscinão terá capacidade para acumular 650 mil metros cúbicos de água das chuvas, o equivalente a 260 piscinas olímpicas. 
 
“Guarulhos perdeu a verba para a canalização do Rio Baquirivu-Guaçú e construção de cinco piscinões. O projeto do governador Geraldo Alckmin, foi aprovado, transferindo essa verba para Campinas, nada contra a outra cidade, mas Guarulhos precisava dessa obra. Estive lá, mesmo como vereador sem poder fazer muita coisa, mas com uma comissão de guarulhenses, conversando com alguns deputados, pedindo que votassem não ao projeto”, reclamou o vereador Eduardo Barreto (PCdoB).
 
Contudo, o parlamentar informa que a barragem de Pedreira será construída no rio Jaguari, nos municípios de Pedreira e Campinas, e terá capacidade para acumular 32 milhões de metros cúbicos de água. A barragem de Duas Pontes, no rio Camanducaia, em Amparo, terá capacidade para 53,4 milhões de metros cúbicos. A construção deste complexo permitirá criar uma reserva hídrica estratégica na bacia do PCJ, com uma vazão regularizada de 13,8 metros cúbicos de água por segundo que vai permitir aprimorar a operação do Sistema Cantareira e reduzir a dependência dos municípios da bacia do PCJ, especialmente nas épocas de estiagem. 
 
É importante destacar que a verba para a construção destes reservatórios estava prevista no “PAC da Crise Hídrica”, acertado com o Governo Federal no início de 2015 e que acabou não se concretizando. O DAEE já tem também os projetos dos reservatórios e já apresentou os Estudos de Impacto Ambiental que encontram-se em análise pela Secretaria do Meio Ambiente. A realização de todo este complexo de obras depende da aprovação do Projeto de Lei 123/2016, que se encontra em tramitação final na Assembleia Legislativa. A construção dos reservatórios está estimada em R$ 754 milhões e o piscinão em R$ 78,7 milhões.
 
“Mais uma vez o governador Alckmin, mostra que Guarulhos não tem prioridade em seu governo. Uma cidade onde ele teve mais de 50% dos votos válidos, mais de 285 mil votos, deixará de ter uma das obras mais importantes de sua história, principalmente para as regiões Taboão/São João/Presidente Dutra. Agora a luta é para que pelo menos o rio Baquirivu seja desassoreado, se não, nas próximas enchentes, irão morrer mais pessoas”, concluiu Barreto.

 

 

Insira seu comentário

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. ROBSON 23/05/2016 09:00

    Alem do mais, repassar verba para um governo PT hoje em dia, é de ser preocupante não é mesmo.

  2. ROBSON 23/05/2016 08:55

    Este vereador defendeu o Almeida na seção de impeachment e quer criticar o governador. Não defendo PSDB, mas entre melhorar a produção de água limpa e cuidar de enchente, que se cuide da água limpa. A enchente acontece porque a população ajuda e muito.

  3. Anônimo 20/05/2016 17:38

    Verba$$$$$

    Parabéns Governador ,decisão sabia .se esta grana viesse aqui pra cidade agora no fim de mandato deste prefeito que faliu a cidade ,não dei qual seria o destino desta grana,deixa pra liberar esta grana pro prox prefeito.e tomara que não seja do PT.

  4. Francisco 20/05/2016 15:36

    RÁ! RÁ! RÁ!

    Pois é! Mesmo sendo uma cidade abandonada pelo governo do estado os guarulhenses reelegeram o governador. Parabéns!!

Insira um comentário