Guarulhosweb
   

ELEIÇÕES - Candidato, quais os cinco maiores problemas de Guarulhos?

Redação Guarulhosweb    25/09/2016 10:50

 

O GuarulhosWeb encaminhou no último dia 12 de setembro um questionário (o mesmo para os nove candidatos a prefeito) com perguntas referentes à admnistração de Guarulhos e formas para resolver os problemas. São oito perguntas iguais  que serão publicadas, a partir desta sexta-feira, uma a uma, todos os dias até sexta-feira da próxima semana, antevéspera das eleições municipais, que ocorrem em 2 de outubro.
 
Não foi imposto um limite no número de linhas das respostas. Porém, o GuarulhosWeb destacou que a concisão das respostas pode ser um fator que facilita a leitura e a comunicação aos eleitores.
 
Dos nove candidatos, apenas cinco responderam ao GuaurlhosWeb e terão suas respostas publicadas. Eloi Pietá (PT), Gustavo Guti (PSB), Jorge Wilson (PRB) e Wagner Freitas (PTB) não encaminharam suas respostas no prazo determinado. 
 
Quais são os 5 maiores problemas que Guarulhos tem a serem enfrentados pelo próximo prefeito?  
 
- Carlos Roberto (PSDB):
Difícil relacionar apenas cinco problemas depois de 16 anos de total abandono da cidade. Mas temos convicção de que há questões que precisam ser trabalhadas de imediato como o precário atendimento médico à população; a falta de água que afeta praticamente toda a cidade; a ausência de oportunidades de trabalho; o sistema de transporte que não atende às necessidades dos cidadãos, além do sistema viário, que necessita ser repensado. Porém, a solução para todos esses e outros problemas passa necessariamente pela readequação da máquina pública, a partir de uma auditoria que realizaremos a partir do primeiro dia de nosso governo. 
 
- Edson Albertão (PSOL):
 Saúde, Educação, Moradia, Transporte e Geração com distribuição de renda. Os mais pobres sofrem com o precário e tão necessário atendimento público, principalmente em saúde e educação, apesar dos esforços das servidoras e servidores. Por exemplo: o atendimento a educação infantil é insuficiente e privatista. A demanda não atendida só cresce. Em berçários e creches o déficit é de 15 mil vagas, o período diário é curto e assim prejudica a qualidade do ensino e não atende todas as mães estudantes e trabalhadoras. Veja o caso das camaradas da UNIFESP que apontam a falta de vagas na região dos Pimentas para que continuem estudando. Na saúde, o povo também sofre demasiadamente com os precários atendimentos aos agravos e com a incompetência na promoção da saúde. O atendimento primário feito nas unidades básicas é insuficiente e ruim. Duas unidades de UPA (Jd. Moreira e Jardim Cumbica), construída a tempos, apodrecem sem serem inauguradas. Há descaso com a vigilância epidemiológica, falta de remédios, atendimento especializado entre outros graves problemas. Vale destacar que o governo do usurpador Temer quer destruir o SUS e contra isso devemos nos insurgir com força e determinação.
Rigorosamente não há política para solucionar a crise habitacional. O Plano Local de Habitação de Interesse Social (PHIS) é falho, insuficiente e erra ao estimar em apenas 25 mil o déficit já que há milhares no aluguel, em moradias sem dignidade e não apenas famílias sem teto ou em área de remoção. Enquanto isso há imóveis e terras ociosas com impostos atrasados ou não cadastradas, que não cumprem a função social e nem pagam IPTU. 
Chega de transporte coletivo tão ruim e caro. Isso estimula o transporte individual em uma cidade com péssima malha viária e verticalização crescente o que atrai cada vez mais carros. Só para São Paulo, segundo pesquisa recente, temos um deslocamento de 100 mil pessoas por dia. O trabalho é outro item importante. Gerando empregos e distribuindo renda, ofertamos a dignidade aos mais pobres, que são os mais afetados pela crise, frequentemente podados em seus direitos elementares.
 
- Eli Corrêa Filho (DEM): 
A administração petista, infelizmente, se serviu da cidade e, não, serviu à cidade. O atual prefeito manteve e/ou criou vícios que são típicos do petismo como, por exemplo, aumentar as despesas da Prefeitura com cargos em comissão de pessoas indicadas pelo partido de outras cidades. A falta de diálogo com os principais setores da sociedade local e com o governo do Estado por rivalidades partidárias trouxeram prejuízos para a população.
 
- Fausto Martello (PSD):
 Não necessariamente nesta ordem:
- Excesso de cargos comissionados, de cunho estritamente político, que engessam a máquina administrativa;
- Excesso de imóveis alugados para abrigar setores da Prefeitura;
- Falta de médicos e medicamentos nos postos de saúde;
- Trânsito caótico causado pela falta de planejamento 
- Falta de creches municipais
 
- Néfi Tales Filho (PPL):
 Os maiores problemas são: Saúde, Transporte, Geração de empregos, Inchaço da Máquina Pública e a enorme dívida deixada pela administração do PT
 
*Elói Pietá (PT), Guti (PSB), Jorge Wilson (PRB) e Wagner Freitas (PTB) não apresentaram suas propostas.
 

 

 

Insira seu comentário

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. Silva 25/09/2016 11:52

    4 menos 1!

    Os 4 menos 1 é esta corja de administrador de grs que só administra com a língua. GUARULHOS, não tem problema, mas problemas foram colocados em grs por esta cambada de picaretas de dentro e de fora. Não temos pessoas com moral política para administrar grs, estes que estão aí, são os mesmos.acorda.

Insira um comentário