Guarulhosweb
   

Nos pênaltis, Industrial conquista vaga à terceira fase da Copa Cecap

Edson Oliveira - É Bola na Rede    19/03/2017 10:12

 

O GE Industrial é a equipe guarulhense com maior potencial para conquistar a 17ª Copa Cecap. O time da Vila Industrial contratou para sua comissão técnica, Kiko do Estrela, vice-campeão de duas das três últimas edições da competição, e Fran Santos, atual campeão da Divisão Especial de Guarulhos e multicampeão na Grande São Paulo. Os dois conseguiram montar um elenco com alguns dos principais jogadores da grande São Paulo.
 
Depois de uma primeira fase tranquila, a tabela da segunda fase previa a disputa com o CDC Vila Cisper, equipe da Zona Leste da Capital, para muitos, a classificação à terceira da competição não seria uma missão nada complicada. Mas, como o jogo é jogado e o lambari é pescado, o GE Industrial quase matou do coração um dos seus treinadores, Kiko do Estrela, quando a decisão da vaga foi para as penalidades máximas, depois de no tempo normal, o time guarulhense ter corrido grande riscos de ser eliminado da competição. Destaque para a boa exibição do time da capital paulista.
 
Os comandados do treinador Olavo e do Presidente Marcos Antônio, conseguiram neutralizar as principais jogadas do time guarulhense e só não conquistou a vaga porque  nas penalidades máximas os seus batedores não demonstraram a mesma eficiência que tiveram durante os 70 minutos do tempo normal.
 
A partida entre GE Industrial e CDC Vila Cisper, pela segunda fase da 17ª Copa Cecap, aconteceu neste sábado(18), no Estádio Cícero Miranda. No tempo normal, empate pelo placar de 1 a 1, com gols marcados por Coloral (CDC Vila Cisper) e Guilherme (GE Industrial). Nas penalidades máximas, vitória do GE Industrial, pelo placar de 4 a 2.
 
Na terceira fase, o GE Industrial, novamente não terá vida fácil. O time guarulhense enfrentará o Flamengo da Vila Maria, que nesta rodada eliminou o Marcone FC, no clássico da Vila Maria. O rubro-negro da Vila Maria tem no seu elenco grande parte dos jogadores que conquistaram a edição do ano passado da Copa Cecap, vestindo a camisa do Botafogo Jaçanã, inclusive contando com a mesma comissão técnica campeã.
 
O JOGO
 
Como era de se esperar, o GE Industrial iniciou a partida tomando as iniciativas do jogo. Aos 8 minutos, o artilheiro Mota, recebeu a bola dentro da grande área do lateral Pestana, dominou  e chutou forte, a bola passou raspando a trave direita do goleiro Fábio, do CDC Vila Cisper.
 
Aos 19 minutos, no contra-ataque, a reação do CDC Vila Cisper. Danilo invadiu a área, deu um corte nos zagueiros guarulhense e chutou forte no alto, o goleiro Fábio, do GE Industrial, mandou para linha de fundo, de mão trocada.
 
Enquanto o GE Industrial não se acertava em campo, o CDC Vila Cisper, cumpria a risca o 4-2-3-1, montado pelo treinador Olavo, forte na  marcação e eficiente nos contra-ataques. Aos 22 minutos, o meia Coloral cobrou com perfeição a falta da entrada da grande área para abrir o placar do confronto.
 
Com o gol sofrido, o GE Industrial intensificou a pressão, mas como nada dava certo, só restou ao time guarulhense esperar o apito final do árbitro Williams Costa, encerrando a primeira etapa para ouvir as instruções dos seus treinadores Fran Santos e Kiko do Estrela.
 
Na segunda etapa, logo aos 12 minutos, o atacante Guilherme deixou tudo igual no confronto. Jogada pelo setor esquerdo, Mota recebeu livre, cruzou rasteiro, o goleiro Fábio defendeu parcialmente e no rebote a bola sobrou para o atacante Guilherme, na marca do pênalti, para marcar o gol que levaria a disputa da vaga para as penalidades máximas. Jogadores e comissão técnica do CDC Vila Cisper, reclamaram bastante da posição do atacante Mota.
 
Nos pênaltis, Industrial conquista vaga à terceira fase da Copa CecapAos 20 minutos um grande susto. O jogador Guga, do CDC Vila Cisper, fora do lance da bola, caiu no gramado e começou a convulsionar. O massagista Edísio, do GE Industrial, que esteve recentemente na A.A.Flamengo, ajudou o jogador nos primeiros socorros. Depois de 7 minutos de partida paralisada, com o jogador recuperado, o árbitro Williams Costa reiniciou  a partida.
 
Nossa reportagem obteve a informação que o jogador Guga, estava em fase de recuperação de um infarto sofrido a menos de 15 dias, mas que ele havia escondido a sua situação clínica dos dirigentes do CDC Vila Cisper, confidenciado após o ocorrido no gramado.
 
Apesar da partida ter tido 12 minutos de acréscimos, após o susto com o jogador do CDC Vila Cisper, o torcedor viu pouco futebol e a decisão nas penalidades foi o caminho natural. Antes das penalidades máximas, ao reclamar efusivamente do tempo do acréscimo, o meia Cleitinho,do GE Industrial, atual bola de bronze do futebol guarulhense, foi expulso.
 
Nas penalidades máximas o GE Industrial foi premiado com a eficiência dos jogadores que converteram todas as cobranças, sem precisar, inclusive, fazer a última cobrança. O goleiro Fábio garantiu o time guarulhense na próxima fase ao defender uma cobrança e ver o seu adversário, mandou por cima do travessão umas das cobranças. Placar final, 4 a 2 para o Industrial.
 
 
 
FICHA TÉCNICA
 
 
 
GE INDUSTRIAL    1 (4)   x   1 (2)   CDC VILA CISPER
 
GOLS : Coloral (CDC Vila Cisper), 22’1ºT ; Guilherme (GE Industrial), 13’2ºT
 
ÁRBITRO : Williams Costa
 
ÁRB.ASSISTENTES : Rodrigo Seixas e Lucas Rafael Ferreira
 
REPRESENTANTE : Rosanny
 
 
 
GE INDUSTRIAL   :  Fábio, Pestana, Maguila, Cauê e Buiu ; Bruno, Casão, Lelê e Tigrão ; Mota e Guilherme
 
Treinador : Fran Santos/ Kiko do Estrela
 
 
 
CDC VILA CISPER  : Fábio, Jordan, Fubá e Sabão ; Kel, Doriva, Roberto e Coloral ; Danilo e Weslei
 
Treinador : Olavo
 
 
 

 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário