Guarulhosweb
   

Bocas de lobo

Plínio Tomaz*    29/03/2017 15:25

 

As bocas de lobo são as aberturas que encontramos nas guias e sarjetas. Não as confunda com bueiros, que são as travessias de estradas e ferrovias. Vejo constantemente na TV os jornalistas comentarem de bocas de lobos entupidas chamando-as de bueiros. Como não existe norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), existem sempre dúvidas a respeito das bocas de lobo.
 
A primeira é a abertura máxima na boca de lobo, que deve ser inferior a 15 cm, o tamanho da cabeça de uma criança. Vários órgãos americanos estabelecem que a abertura sempre deve ser inferior a 15 cm. Loteadores experientes, por sua vez, estabelecem uma abertura máxima de 7,5 cm.
 
Infelizmente, não é isso que vemos no Brasil. Basta você olhar as bocas de lobo, quando parar em um sinaleiro, em uma esquina, e ver que existem aberturas de até 0,70 m, de forma que uma pessoa pode ser facilmente sugada para dentro da boca de lobo.
 
No Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-SP), quando fui Conselheiro e Presidente da Comissão de Meio Ambiente, vi dois casos de pessoas que morreram em boca de lobo. Quem teve que arcar com os custos não foi a Prefeitura e nem a concessionária da rodovia, mas o engenheiro responsável por aquele trecho da estrada ou daquela área. O conselho que damos é que se faça uma descrição das bocas de lobo que estão irregulares, isto é, com aberturas maiores que 15 cm, e que se envie um memorando à chefia e guarde uma cópia em casa, para se defender em caso de indenização por fatalidades.
 
Outra observação sobre bocas de lobo é que muitos projetistas se esquecem de calcular a velocidade da água na guia e na sarjeta, que deve ser inferior a 3,0 m/s ou 3,5 m/s para evitar erosão e derrubada do pedestre.
 
Também não existe, no Brasil, critério para lançamento de águas pluviais de um lote na guia e sarjeta e, normalmente, são feitas várias tubulações de cerca de 50 mm. Mas qual seria um critério? Nos Estados Unidos, algumas cidades adotam como lançamento máximo a vazão máxima coletada por uma boca de lobo, que é de 50 L/s. Caso esta marca seja ultrapassada, deverá ser feito um poço de visita na rede de águas pluviais para lançamento na galeria e não na rua.
 
Outra dúvida muito constante é o nome boca de leão, que é usado em vários casos. Uma boca de lobo junto com uma calha é chamada de boca de leão, mas alguns usam simplesmente para uma simples grelha.
 
A quantidade de bocas de lobo que podem ser colocadas continuamente, nos desenhos da Prefeitura de São Paulo, é de três unidades, mas já vi sete bocas de lobos seguidas em ruas largas. Não conheço nenhum critério oficial e o ideal é que se faça uma padronização das bocas de lobos junto com as grelhas.
 
Plínio Tomaz é engenheiro, especialista em saneamento básico e superintendente adjunto do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) de Guarulhos 
 

 

 

Insira seu comentário

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. FABIO DA MOTA PEREIRA 04/04/2017 07:52

    SARJETAS/BOCAS DE LOBLO

    BOM DIA,MORO NA AV. RECIFE Nº63 NO JD. STO AFONSO, NA FRENTE DA MINHA CASA ACUMULA ÁGUAS SERVIDAS, POIS NÃO EXISTE UM SARJETÃO OU BOCA DE LOBO PARA ESCOAR A ÁGUA. JÁ RECLAMEI NA PREFEITURA HÁ 2 ANOS ATRÁS E NADA FOI FEITO. O QUE POSSO FAZER?

Insira um comentário


estadao brasil Leia Também