Guarulhosweb
   

Bomba em alta

Ernesto Zanon    19/05/2017 07:05

 

A bomba quer caiu sobre o Brasil na noite de quarta-feira, com as notícias sobre as delações dos donos da JBS, se refletiu em todo o país. Em Guarulhos, o tema ocupou quase todo o espaço nas redes sociais e nas principais mídias, deixando em segundo plano as menções sobre a greve de servidores, iniciada ontem. 
 
Só contra os outros
Até mesmo durante o protesto de servidores, o tema foi bastante lembrado. Nos discursos do ato na Getúlio Vargas, não faltaram sindicalista comemorando as denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador afastado pelo STF, Aécio Neves (PSDB). Curiosamente, nenhuma menção ao ex-ministro de Dilma Rousseff, Guido Mantega (PT), igualmente citado nas delações. 
 
Alguém foi enganado
Durante a campanha salarial dos servidores em 2015, quando a categoria teve 6% de reajuste, frente a uma inflação de 8,17%, com perda real de 2,17%, o Stap comemorou a aprovação de um projeto de lei, pela Câmara Municipal, que deveria garantir a reposição da inflação pelo Dieese. Na ocasião, os servidores entenderam isso como uma conquista. No entanto, o texto da Lei Municipal 7380/15 trata apenas do reajuste de 2016, sem mencionar anos posteriores. Ou seja, o funcionalismo público que pensou estar amparado pela legislação somente agora percebeu que foi enganado. 
 
Filme repetido
Mais uma vez a sessão da Câmara Municipal foi encerrada nesta quinta-feira, desta vez após quase duas horas de trabalho, às 15h48, pelo presidente da Casa, Eduardo Soltur (PSD), sem votar projetos importantes. O motivo foi o de sempre: interferência da plateia, que não respeitou os vereadores, gritando o tempo todo e proferindo até palavrões. O grupo, outra vez, era formado por ex-comissionados, que insistem em receber verbas rescisórias da Prefeitura, em um caso que está na Justiça. 
 
Clima pesado
O clima entre os vereadores também esteve bastante pesado. O discurso do membro do Conselho Municipal de Saúde, Pedro Gomes, que atacou a parceria entre a Prefeitura e o Instituto Gerir, fazendo denúncias que seriam graves, acirrou os ânimos. O líder do governo Eduardo Carneiro, ao defender que tudo fosse apurado, afirmou que o acusador, caso não prove, seja responsabilizado. Parlamentares da oposição se irritaram, dizendo que o peessebista estaria intimidando o cidadão, cerceando a liberdade de expressão.  
 
Seja homem
Durante uma das suspensões dos trabalhos, Eduardo Carneiro e o vereador petista José Luiz discutiram em um tom mais acirrado, próximo à tribuna da Câmara. Por pouco, não chegaram a se tocar. Até um “seja homem” pode ser ouvido no debate entre os dois opostos. 
 
 
Tucano de Guarulhos
O vice-presidente do PSDB de Guarulhos, o advogado José Winter, divulgou uma nota nesta quinta-feira, em relação aos últimos acontecimentos, que envolvem diretamente o presidente nacional do partido dele, o senador afastado pelo STF, Aécio Neves. “Nesse momento é preciso que vaidades e interesses pessoais sejam colocados de lado para que o país possa renascer mais forte e unido, visando o fim último que é o bem estar dessa gente trabalhadora e em sua maioria, honesta e ordeira. Precisamos de lucidez para não depositarmos nossas esperanças em salvadores da pátria que surgirão, precisamos de equilíbrio para entender esse momento crucial que vivemos, sabedores que é pelo teste do fogo que se forja o aço mais duro, o Brasil sairá fortalecido destes episódios lamentáveis e haveremos de deixar um país melhor, mais humano, mais igualitário e ético para as futuras gerações".
 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário


estadao brasil Leia Também

22/11 07:38
Decisão acertada
14/11 07:28
Na Catalunha
13/11 08:14
Rede de instabilidade