Guarulhosweb
   

Parlamento do Irã aprova 16 dos 17 ministros propostos por presidente reeleito

Redação Guarulhosweb    20/08/2017 09:49

 


Teerã, 20 (AE) - Parlamentares iranianos aprovaram neste domingo 16 das 17 indicações do presidente reeleito Hassan Rouhani. Entre os nomes avalizados está o do primeiro ministro da Defesa em 25 anos que não é ligado à linha-dura Guarda Revolucionária no país.

O presidente do Parlamento, Ali Larijani, disse que entre os nomes aprovados está o ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, que negociou o acordo nuclear de 2015 com as potências mundiais. Ele obteve 236 votos favoráveis. O ministro do Petróleo, Began Zanganeh, teve apoio de 230 dos 288 parlamentares que votaram. O Parlamento tem 290 cadeiras.

O maior número de votos foi para o general Ami Hatami para ministro da Defesa, com 261. A nomeação dele indica que o moderado Rouhani e o Legislativo continuam com uma postura pragmática para controlar as tensões entre o Irã e outras potências mundiais.

Em julho, o Irã lançou um foguete com a capacidade para levar um satélite, o que gerou condenação internacional de países como França, Reino Unido e Estados Unidos. Os três países estavam entre os que fecharam o acordo sobre o programa nuclear iraniano.

Hatami, de 51 anos, disse que a melhora do programa de mísseis está na agenda dele. Rouhani pediu ainda que Hatami melhore os laços entre o Exército e a Guarda Revolucionária, além de usar tecnologia moderna para melhorar o arsenal do país.

O Ministério da Defesa tem entre suas atribuições produzir armas tanto para o Exército quanto para a Guarda Revolucionária, que está encarregada do lançamento dos mísseis balísticos do país. A Guarda é uma força paramilitar que responde diretamente ao líder supremo, aiatolá Ali Khamenei.

Rouhani disse ainda aos legisladores que o objetivo principal de Zarif na chancelaria é manter o acordo nuclear e atrair investimento estrangeiro e de tecnologia. Em 2015, os EUA e outras seis potências mundiais fecharam um acordo com o Irã, no âmbito do qual o país desistiu de avançar com seu programa de armas nucleares, em troca da redução da maioria das sanções que o afetavam. "Nenhum país tem sucesso recorrendo ao isolamento", afirmou Zarif. "Nós queremos que seja investimento estrangeiro ou tecnologia."

Rouhani disse que o país precisa de cerca de US$ 200 bilhões em investimento estrangeiro no setor de petróleo e gás para modernizá-lo.

O ministro de Energia indicado pelo presidente, Habibolalh Bitaraf, foi o único nome não aprovado. Membros do Parlamento criticaram o fato de ele não ter um plano para lutar contra a seca e a crise de fornecimento de água no país, onde muitas cidades sofrem com racionamentos. Fonte: Associated Press.

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário