Guarulhosweb
   

Creche onde menino morreu funcionava sem licença da Prefeitura

Katia Russões - Do GuarulhosWeb    13/09/2017 15:51

 

Um bebê morreu após se engasgar em uma creche não licenciada, no Parque Santos Dumont, na tarde de segunda-feira (11).  O local atendia de forma irregular, já que o pedido de licença de funcionamento tinha sido indeferido pela Prefeitura de Guarulhos. A proprietária do estabelecimento não foi presa e responderá o processo pela morte em liberdade.
 
O menino, de 1 ano e 11 meses, estava em uma residência quando - segundo a proprietária informou à policia -  teria se engasgado enquanto tomava leite. Durante o processo de reanimação, a responsável pela creche teria massageado o pescoço da criança, porém - ao perceber que não houve reação - chamou o marido e seguiu para uma unidade de saúde instalada nas proximidades. 
 
Segundo a mãe da criança, por motivos profissionais, há 20 dias ela teria deixado a criança sob os cuidados da “creche”. Ela não teria a ciência de que mais pessoas trabalhavam pelo local, além da mãe da cuidadora e o marido. A proprietária alega que duas pessoas auxiliavam nas atividades.
 
No hospital, os médicos indicaram marcas no pescoço da criança que podem ter sido causados pelo cinto de segurança durante o transporte até a unidade de saúde. A polícia esteve no local e realizou uma perícia que deve indicar as causas da morte. Os resultados devem sair em 30 dias, o caso foi registrado como morte suspeita.
 
A prefeitura informou que o local “se trata de uma creche não conveniada, portanto não pertencente à rede municipal”. O pedido de licença teria sido realizado em maio através do Via Fácill Empresa, porém  foi indeferido, e um auto de infração foi lavrado.
 
A prefeitura esclareceu ainda que a  Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secel) irá instituir uma comissão de auditoria, para a realização de visitas técnicas, acompanhamento e apuração do desdobramento dos fatos.
 
Sobre a rede municipal de creches na região, a prefeitura afirmou que atualmente existem duas entidades parceiras para atendimento das crianças na Região do Jardim São João: Nova Vida Associação Beneficente II com 68 vagas e ABAN II - Associação Beneficente de Apoio ao Necessitado, com 45 vagas, totalizando 113 vagas. 
 
 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário