Guarulhosweb
   

Estados Unidos divulgam detalhes de novas sanções contra Coreia do Norte

Gabriela Korman    21/09/2017 16:46

 


O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, divulgou há pouco detalhes sobre o decreto assinado mais cedo pelo presidente do país, Donald Trump, que tem o objetivo de cortar todas as fontes de recursos para a Coreia do Norte e seu programa nuclear.

"Pedimos para que todos os países se juntem à nós e cortem todas as relações financeiras e comerciais com a Coreia do Norte para que possamos ter uma península coreana sem armas nucleares", disse Mnuchin.

Segundo o secretário, o decreto autoriza o Departamento do Tesouro a impor uma gama de sanções, como suspender o acesso à conta correspondente nos EUA de qualquer banco estrangeiro que realize ou facilite transações ligadas ao comércio com a Coreia do Norte. "As instituições financeiras no exterior agora estão avisadas de que, ao seguir com essas ações, ela terão de escolher entre fazer negócios com os EUA ou com a Coreia do Norte, mas não com os dois", declarou.

O novo decreto, de acordo com Mnuchin, também permite que o Departamento do Tesouro congele ativos e cancele operações de empresas e indivíduos que realizam negócios com a Coreia do Norte, sejam no setor de bens, serviços, tecnologia, materiais têxteis, pesca, tecnologia da informação e indústrias manufatureiras.

O secretário do Tesouro enfatizou que a medida não tem o objetivo de atingir a China, que é responsável por cerca de 90% das exportações para a Coreia do Norte. "Essa ação é direcionada para todos, de nenhuma maneira é direcionada para a China", disse. Segundo ele, os EUA estão trabalhando em conjunto com a China e a relação entre os dois países é "muito valorizada". Ao mesmo tempo, Mnuchin afirmou que o governo deve pedir para que a Rússia "faça mais" em relação ao regime de Pyongyang.

Ele ainda clarificou que não houve nenhum tipo de negociação prévia com a China sobre as novas sanções sobre a Coreia do Norte. Mais cedo, Trump afirmou que o Banco Central da China (PBoC, na sigla em inglês), ordenou que os bancos chineses não realizam mais negociações com a Coreia do Norte.

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário