Guarulhosweb
   

Operação da polícia de MG contra o tráfico apreende Lamborghini e Audi em Guarulhos

Redação Guarulhosweb    22/09/2017 10:34

 

A Polícia Civil prendeu 33 pessoas durante a "Operação Black Tie", realizada nesta quinta-feira (21), além da apreensão de carros de luxo. Em Guarulhos, dois veículos de luxo foram apreendidos (um modelo da Lamborghini e outro da Audi), que foram levados para a 2ª Delegacia Regional da Polícia Civil (Depol), em Alfenas, que centralizou as operação. A ação envolveu 160 policiais em 11 cidades de Minas Gerais e em São Paulo, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa responsável por tráfico de drogas naquela região.
 
Alfenas foi uma das cidades que foi alvo da operação policial, iniciada durante a madrugada de quinta-feira. A ação policial envolveu um helicóptero, que ajudou nas buscas. 
 
Além do cumprimento de 55 mandados de prisão temporária, a Polícia Civil também realizou apreensões que afetam o funcionamento do esquema criminoso. 
 
Em Alfenas, pelo menos três pessoas foram presas e levadas para a Depol. Dário Marzo Alves da Costa, 42 anos, Elso Rodrigues, 41 anos, e Fabricio Barbosa Andrade, 31 anos, foram alvos dos mandados no decorrer da manhã de quinta-feira. No ano passado, Andrade chegou a ser preso sob a suspeita de atirar contra outro homem. Rodrigues também já foi preso por disparo de arma de fogo há seis anos. 
 
De acordo com a Polícia Civil, as pessoas presas são suspeitas de terem conexões com os alvos da investigação. Além de Alfenas, foram cumpridos mandados em Machado, Elói Mendes, Paraguaçu, Boa Esperança, Varginha, Extrema e Poço Fundo. Também foram cumpridos mandados em três cidades de São Paulo: Guarulhos, Bragança Paulista e Botucatu.
 
 
O principal alvo da operação policial foi Paraguaçu, onde estariam instaladas fábricas de terno, que seriam utilizadas num esquema de lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas. Segundo a investigação, o grupo conseguiu R$ 1 milhão com a venda de entorpecentes em apenas um mês. A principal droga comercializada era maconha.
 
O grupo atuava na compra de carros de luxo a prazo e depois os trocavam em droga no Paraguai. Com essa estratégia eles evitavam empréstimos e conseguiam capital para aquisição do entorpecente. "A droga tem fácil venda, fácil revenda, então obviamente que eles capitalizavam sem pegar empréstimo em banco. O próprio veículo já era trocado em drogas", explicou o delegado Bruno Costa.
 
 
Segundo a Polícia Civil, o chefe da organização criminosa foi preso em junho em uma outra operação policial em Paraguaçu. Na ocasião, Deivid Michael Luciano, 28 anos, foi detido após a Polícia Civil apreender meia tonelada de maconha e um Camaro.
 
De acordo com as investigações, o grupo de criminosos importava cerca de uma tonelada de maconha por mês do Paraguai. Há dois anos o grupo era investigado, mas atuação do grupo na região ocorre há 15 anos, segundo a Polícia.
 
*com informações do Alfenas Hoje
 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário