Guarulhosweb
   

Polícia prende quarto acusado por morte de idosa no Jardim Tupinambá

Katia Russões - Do GuarulhosWeb    25/10/2017 18:39

 

Foi detido na tarde de terça-feira (24) o quarto acusado pela morte da idosa, Sila Morellis, de 84 anos, cujo corpo foi encontrado dentro de um barril, onde residia, no Jardim Tupinambá, em agosto de 2016. André da Silva era companheiro de Isautina Machado, conhecida como Tina, também acusada pelo crime, e ficou responsável pela venda dos objetos roubados da vítima.
 
Além de Tina e André, está preso pelo crime, Fábio Machado da Cunha, filho da acusada, que estava na casa no momento do crime e teria oferecido remédios controlados para provocar a morte da idosa.
 
André foi preso sob a acusaão de co-autoria no homicídio, uma vez que sabia da morte e continuava frequentando o local após o crime.
 
 
Entenda o caso
 
O corpo de Sila Morellis, de 84 anos, foi encontrado no dia 2 de agosto de 2016 dentro de um tambor cheio de cal, no interior da casa onde ela morava, na estrada do Sacramento, Jardim Tupinambá, região dos Pimentas, em Guarulhos.
 
Ao chegar à residência, os policiais encontraram um tambor fechado e - com a ajuda do Corpo de Bombeiros - abriram o recipiente que continha um corpo, enrolado em um cobertor, já em estado de decomposição.  A residência não tinha sinais de arrombamento. Porém, nenhum móvel foi encontrado no local. Eles acharam apenas uma mala com documentos da vítima, que seria Sila Morellis, espalhados pelo chão. Apesar dos indícios de que o corpo era da mulher desaparecida, o reconhecimento oficial só será possível após exames da perícia. 
 
No dia 9 de agosto o Setor de Homicídios de Guarulhos prendeu três pessoas acusadas pela morte de uma idosa. Entre os acusados estava o filho da vítima, que foi inocentado pela dupla após depoimentos e a cuidadora, Isautina Machado, conhecida como Tina.
 
Na época a polícia encontrou um boletim de ocorrência que informava que a vítima estava sendo procurada desde que um taxista que a acompanhava a consultas e compras percebeu seu desaparecimento e desconfiou da atitude de sua cuidadora.
 
Segundo o delegado da SHG, uma testemunha foi peça chave para que os investigadores chegassem até os autores do crime.
 
No dia 2 de agosto a polícia foi até a casa de Sila onde, com a ajuda de um chaveiro, pode entrar no imóvel, que ja estava vazio apenas com documentos da vítima espalhados pelo chão. Na ocasião o filho da vítima, Rubens Jesus Damião Filho, apresentado a uma foto da cuidadora teria afirmado não conhecer a mulher.
 
A testemunha indicou a polícia onde encontrar Tina, que foi surpreendida em um barraco, em Itaquaquecetuba. Na presença da polícia ela confessou ter cometido o crime junto com o filho da vítima e seu filho Fábio Machado da Cunha e um quarto homem. 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário