Guarulhosweb
   

Reino Unido: May é pressionada por apoiadores e opositores do Brexit

AE    12/11/2017 15:02

 


A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, está sob pressão de ambos os lados do debate sobre o Brexit enquanto tenta formular uma base para o plano do governo para saída da União Europeia por meio do Parlamento. A Proposta de Saída da União Europeia retorna esta semana à Câmara dos Comuns, onde enfrentará uma enxurrada de emendas de legisladores. O projeto de lei destina-se a evitar um vazio jurídico, convertendo cerca de 12 mil leis da UE em estatuto britânico no dia em que o Reino Unido deixar o bloco em 2019. Legisladores devem realizar vários dias de debate, e a votação começa na terça-feira.

Mas muitos legisladores afirmam que o projeto de lei dá ao governo muito poder para alterar a legislação sem o escrutínio parlamentar. Eles tentarão aprovar alterações para reduzir esses poderes. E opositores do Brexit - tanto da oposição quanto do Partido Conservador de May - tentarão conferir ao Parlamento o poder de decisão sobre o acordo final de separação entre o Reino Unido e a UE. Enquanto isso, apoiadores do Brexit estão pressionando May para não ceder junto a UE ou aos legisladores anti-Brexit.

O secretário de Relações Exteriores, Boris Johnson, e o secretário do Meio Ambiente, Michael Gove, importantes líderes eurocéticos dentro do gabinete de May, advertiram a primeira-ministra em uma nota para se manter firme na ambição de fazer do Reino Unido "um país autônomo totalmente independente no momento da próxima eleição" em 2022, informou o jornal Mail on Sunday. A nota publicada pelo jornal acusa alguns ministros de não se prepararem para o Brexit com "energia suficiente".

May, enfraquecida pelo baixo comparecimento dos conservadores em uma eleição em junho, tem pouca margem de manobra. Ela depende de um pequeno partido da Irlanda do Norte para sustentar seu governo minoritário e está no meio de uma disputa entre facções em conflito dentro de seu gabinete. Ela também tem que lidar com escândalos de assédio sexual envolvendo um número crescente de políticos e a renúncia de dois ministros do gabinete até agora neste mês.

As negociações do governo com a UE perderam força pela falta de acordo sobre os termos da saída do Reino Unido, incluindo o quanto o país deve pagar para cumprir seus compromissos financeiros com o bloco. O secretário do Brexit do Reino Unido, David Davis, disse neste domingo que o país não vai se comprometer com um número final para o projeto de lei do Brexit. "Está demorando, e nós vamos precisar de tempo para obter a resposta correta", disse ele à Sky News. Davis negou que as negociações tenham parado. "Na verdade, houve uma grande quantidade de progresso" sobre o que ele chamou de "a negociação provavelmente mais complexa da História". Fonte: Associated Press.

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário