Guarulhosweb
   

ESPAÇO AAPAH - Conheça 100 lugares em Guarulhos

Por Bruno Leite de Carvalho    26/11/2017 12:09

 

A proposta do livro é conhecer a cidade e se surpreender

No dia 21/11/2017, foi lançado o “GUIA GRU 100 Lugares para conhecer em Guarulhos”, no Teatro Padre Bento. O autor é Danilo Duarte Ramalho, diretor do GRU Convention, membro da AAPAH e um dos principais entusiastas da nossa cidade. Ele tem perfil de empreendedor, mas também tem como característica o carisma e a boa vontade para desenvolver projetos de turismo, história, além trabalhar o sentimento de pertencimento.
 
Nesta entrevista, Danilo fala sobre o livro, sensações, pesquisa e empreendedorismo.
 
Espaço AAPAH - Conte como surgiu a ideia do livro?
Danilo - O livro surgiu depois da publicação de um artigo escrito para a AAPAH em 2014. O texto foi uma adaptação da campanha “100 Happy Days Challenge”. Um desafio mundial para as pessoas dizerem se conseguem ser felizes em 100 dias. O ato de escrever a campanha me fez pensar como seriam esses 100 dias em 100 lugares diferentes em Guarulhos. Ao mesmo tempo naquele ano tinha produzido para o GRU Convention o vídeo “We are happy from Guarulhos” para também uma campanha mundial que mostrava a música “Happy” do Pharrel Willians. Esse vídeo está no canal do Youtube do GRU Convention. Além disso, por fazer parte de entidades de patrimônio histórico e turismo de Guarulhos (AAPAH, Conselho Municipal de Turismo e GRU Convention) tive a oportunidade de visitar e discutir sobre vários locais da cidade e constatar que muitos guarulhenses desconhecem a própria cidade. Este conjunto de ações e pensamentos resultou no GUIA GRU 100 Lugares para conhecer em Guarulhos.
 
Espaço AAPAH - Quais as dificuldades para publicar? Quem são os patrocinadores?
Danilo - A dificuldade é financeira. Ainda é muito caro a impressão gráfica no Brasil, além disso, nosso mercado editorial é muito restrito para iniciantes. Cheguei a conversar com uma grande editora nacional, mas eu tinha que praticamente bancar a editora pra fazer todo o trabalho com meu conteúdo (e não o contrário). (Risos). Outra dificuldade foram os patrocinadores. Visitei mais de 420 empresas em Guarulhos para conseguir o patrocínio de 35 organizações. São elas as quais aqui mais uma vez agradeço:
ACE Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos, Alerta Paintball, Bimi Sushi, Boteco Asinha, Cá Te Espero, Casteluche: Adega, Restaurante e Show, Choupana, Colégio Carbonell, Dolce Vitta Estética e SPA Urbano, Don Cordelli, Eper Group, Esquina Bar e Gastronomia, Gabriela Calçados, Guarulhos Convention e Visitors Bureau, Izumi Sushi, Johnny Hudson Burguer, Kess Buffet, Kopenhagen, Livraria Guarulivros, Marechal Choperia & Butiquim, Maria Cereja, Mizu Sushi, Neliu’s Grill, Nonetto Ristoranti, O Postinho, Padaria City Bread, Padaria Favos D’Mel, Peixaria San Paolo, Ponto Ka, Projeto Tear, Sauna Paineras, Schoppen Beer & Food, SPA Julio Ganiko, Tifany Bistrô e UPTIME – Comunicação em Inglês.
 
Espaço AAPAH - Acompanhei os comentários na internet sobre os 100 lugares para conhecer em Guarulhos. Muitos dizem que não há todas essas coisas na cidade. Há muita descrença. Como você vê isso?
Danilo - Sobre os vários comentários a respeito percebo principalmente a falta de conhecimento das pessoas sobre a própria cidade. A gente não aprende a história de Guarulhos na escola, e por não conhecer não valorizamos. Muitas pessoas já me disseram que conhecem tudo, mas se surpreenderam com a história da Festa de Bonsucesso. Vi jornalistas experientes na cidade se disseram surpresos por não conhecerem alguns locais. Eu não acho que tenhamos 100 lugares para conhecer, acho que há muito mais! Na lista original havia 289. É claro que o guia não se baseia num gosto pessoal. Como turismólogo, analiso o local por critérios técnicos como singularidade, representatividade e reputação. Têm locais que podem não agradar a todos, mas para cada um há um público alvo. Citei os locais de cultura underground, por exemplo, são muitos e normalmente frequentado por jovens, citei os pesqueiros da cidade, locais que famílias gostam de frequentar, temos a Marcha pra Jesus e o Carnaval, enfim o guia atende a todos os nichos inclusive os que gostam de toda essa diversidade, como eu!
 
Espaço AAPAH - Qual local pode surpreender o guarulhense que subestima sua própria cidade? Por quê?
Danilo - São vários. Essa cidade tem muitos complexos de inferioridade perante São Paulo, mas deveria ser o contrário, deveríamos nos espelhar na capital e aproveitar o privilégio de celebrar e ser vizinha de umas das maiores metrópoles do mundo. Não dá para fazer essa comparação com São Paulo, mas acredite, tem coisas que somos melhores: O Parque do Cabuçu é o mais bonito e organizado de toda a Serra da Cantareira, o Pico do Gil é maior e mais bonito que o Pico do Jaraguá, nossa gastronomia supera em muito, regiões concorrentes como a Avenida Nova Cantareira, Tiquatira e a Penha. Temos aqui o maior centro de simuladores de voos da América Latina, o CAE, a propósito o maior aeroporto também! Nas nossas áreas verdes há muito que conhecer, quero fazer com que este guia fomente a estruturação destes lugares.
 
Espaço AAPAH - Qual local você recomendaria para levar alguém que não conhece a cidade? O que há de diferente?
Danilo - Eu acredito que todo guarulhense tem que fazer dois batismos para se tornar um cidadão verdadeiramente nato: um é beber água direto de uma cachoeira no Parque do Cabuçu (caminhada de 900 metros, bem curta), a outra é acompanhar a Carpição, seja na festa ou visitando o Santuário de Bonsucesso. Feito isso vale a pena fazer um tour para conhecer e pé nosso centro histórico acompanhado de um guia de turismo e um professor de história. A partir desta visita você tem um apanhado geral do que é este município.
 
Espaço AAPAH - Quais atrativos poderiam ter melhor infraestrutura?
Danilo - Todos os que estão na mão do poder público. Com raras exceções a prefeitura ou os governos estaduais e federais não dão conta de potencializar os lugares para visitação turística ou mesmo prática de lazer. Falta um olhar técnico do Turismo e profissionalização. Destaco principalmente ás áreas verdes e praças, que deveriam se espelhar como o fazem no mundo inteiro civilizado: abrem-se espaço para o comércio e empreendedoras para equipá-los com informação, lojas, locais de alimentação, banheiros adequados, enfim o mínimo de estrutura que ajudarão a mantê-lo seguro e limpo. Os espaços culturais públicos que são importantes carecem de um foco e atualização para produção de exposições, arte e até de formação de público.
 
Espaço AAPAH - Teve algum lugar que você conheceu no momento da pesquisa para o livro? Qual? O que te surpreendeu?
Danilo - Particularmente algumas ruas temáticas me chamaram a atenção pelo dinamismo que só uma visita in loco pode despertar. A Rua Tapajós certamente já é reconhecida como um local dos melhores bares da cidade, mas durante a produção fiz uma visita técnica de degustação pelo GRU Convention com as equipes de recepção de vários hotéis associados. Em cada casa nos ofereceram um cardápio degustação e os gerentes e donos nos apresentaram suas particularidades. Juntas elas foram um conjunto muito rico e de alta qualidade, lá os empresários são unidos e se respeitam. Você percebe isso! Sugiro as pessoas um dia curtirem uma noite de boemia na rua passando por várias casas.
 
A Rua Brás Cubas: Roteiros do charme foi um nome sugerido pelos empresários de lá. Menos badalada que a Paulo Faccini e a Rua Tapajós, o conjunto dos restaurantes fazem dela à noite um lugar com um encanto especial, é a nossa pequena Oscar Freire.
A Avenida Guarulhos como “Rua das Ferramentas” passa a existir quando você a visita para essa necessidade. E por último destaco os restaurantes japoneses, este foi o item mais difícil do Guia. Temos muitas casas de qualidade, certamente algumas ficaram de fora por conta do tempo da pesquisa, mas todos que temos lá merecem uma visita.
 
Espaço AAPAH - O que Guarulhos precisa para se tornar um destino turístico além do turismo de negócios?
Danilo - Quanto ao mercado turístico, é importante ter foco. Não é possível investir energia e recursos em várias frentes. O principal é o turismo de negócios e esta é a vocação da cidade, por sua localização e logística. Há outros segmentos para se trabalhar como o religioso, que eu daria foco apenas na produção e desenvolvimento da Festa de Bonsucesso. Com algumas técnicas e trabalho é possível fazer desta festa um local de visitação e referência de peregrinação no país. Sobretudo indico que mais do que o Turismo é preciso fomentar o Lazer para a população de Guarulhos. Deixando os locais estruturados, bonitos e de uso à população certamente serão locais de interesse e visitação dos turistas, vira um processo automático.
 
Espaço AAPAH - Seu livro pode resultar em outros projetos? Quais?
Danilo - Eu brinco que depois de Guarulhos estou preparado para fazer o Guia de Osasco e Diadema. O trabalho de quem se forma em turismo é se aprofundar na pesquisa, trazer, através de técnica, um resgate da autenticidade do local, formas de torná-lo atrativos e rentável. Com isso gera-se um ciclo de virtude a localidade podendo se transformar num destino turístico. Por ora, mesmo meu foco é tornar este guia conhecido e reconhecido na cidade. Vamos dar foco à distribuição, colocar placas indicativas e em breve lançar o portal. Tenho planos e busco parceiros para transformar todo o conteúdo em vídeo.
 
Sobre o Guia GRU
O Guia GRU pode ser adquiro por R$ 35,00. Dentro de algumas semanas já estará disponível nas principais livrarias e bancas de jornal. Os restaurantes e algumas lojas também podem ser tornar pontos de venda. Por ora quem já quiser entre em contato para mais informações na FANPAGE oficial: fb.com/GRU100lugares.
 
Bruno é jornalista, responsável pela assessoria de comunicação da AAPAH, coautor dos livros “Guia Histórico Cultural de Logradouros – Lugares e Memórias de Guarulhos” e “Signos e Significados em Guarulhos: Identidade – Urbanização – Exclusão”.
 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário