Guarulhosweb
   

Vereadores aprovam Serviço de Declaração de Óbito em Domicílio

Karla Maria - Do GuarulhosWeb    14/12/2017 20:03

 

O Projeto de Lei 241/17 que institui o Serviço de Declaração de Óbito em Domicílio, de autoria do vereador Dr. Alexandre Dentista (PSDC) foi aprovado nesta quinta-feira, 14, em sessão agitada na Câmara Municipal, em que os ânimos estavam voltados para a votação de projetos
orçamentários da Prefeitura que não aconteceu.
 
Após a sanção do projeto, os munícipes contarão com um serviço domiciliar de declaração de óbito, ou seja, se um ente morrer em casa, a família poderá receber na residência médicos da rede pública municipal para averiguarem se a morte foi natural e a causa dela. Mortes violentas e acidentais não estão inclusas no projeto já que precisam passar pelo Instituto Médico Legal (IML) e necropsia.
 
“A minha ideia é que o médico preparado da prefeitura vá ao local, se ele tiver condições de dar a declaração de óbito, que é só em caso de mortes naturais, se ele constata que a pessoa já tinha uma enfermidade há muito tempo. Quando ele (o médico) não tem condições de dar a
declaração de óbito, ele tem que comunicar imediatamente ligar para um setor da Prefeitura para a retirada do corpo”, explicou o vereador.
 
Questionado sobre qual seria o mecanismo de acesso a esses médicos, o vereador ressaltou que cabe à Prefeitura regulamentar a lei. “Quem vai disciplinar a lei será o governo. Eu penso que deve ter um telefone apropriado para receber essas ligações. Com essa chamada, a  Prefeitura localiza o médico mais próximo da ocorrência e ele fará a declaração de óbito se – repito – foi detectada a morte natural”, disse o edil.
 
Para o vereador, esse serviço minimizará o sofrimento das famílias em um momento de dor, que é este o da perda de um ente querido.
 
Segunda-feira extraordinária
 
A votação de projetos orçamentários da Prefeitura, referentes ao orçamento do próximo ano e o Plano Plurianual para o quadriênio 2018-2021 serão votados em sessão extraordinária, na segunda-feira, 18, às 11h. Junto a esses projetos, os de número 6128 e 6129, que juntos concedem R$ 36 milhões em subvenções aos hospitais Stella Maris e Jesus, Maria e José também entrarão em pauta.

 

 

Insira seu comentário

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. Márcio de Carvalho 15/12/2017 11:06

    Investir em saúde

    Muitas pessoas morrem em hospitais públicos depois de vários dias de internação. Muitos nem fazem exames para o diagnóstico. Faltam médicos, e outros poucos trabalham em vários lugares (alguns ao mesmo tempo!). Acredito que investir na prevenção ou no tratamento é melhor que diagnosticar a causa dep

  2. Márcio de Carvalho 15/12/2017 11:04

    Investir em saúde

    Muitas pessoas morrem em hospitais públicos depois de vários dias de internação. Muitos nem fazem exames para o diagnóstico. Faltam médicos, e outros poucos trabalham em vários lugares (alguns ao mesmo tempo!). Acredito que investir na prevenção ou no tratamento é melhor que diagnosticar a causa dep

Insira um comentário