Guarulhosweb
WhatsApp:(11) 9 4702.3664

43 anos depois

Ernesto Zanon    31/01/2018 08:13

 

Foram 43 anos atuando na coleta de lixo doméstico em Guarulhos que chegaram ao fim nesta terça-feira. Oficialmente, a Quitaúna deixa de operar na cidade, depois que entrou com uma ação judicial contra a Prefeitura pedindo o reequilíbrio do contrato. Desta forma, ela não pode nem ser contratada emergencialmente até que o processo de licitação para a escolha de uma nova concessionária chegasse ao fim. 
 
Sempre viva
Alvo de denúncias e de favorecimentos, já que sempre ocupou o ranking dos fornecedores que mais receberam da Prefeitura por mais de 10 gestões de diferentes prefeitos, a empresa nunca deixou de operar. A Câmara Municipal, incontáveis vezes, de acordo com os interesses de vereadores em suas legislaturas, cansou de ameaçar com comissões de inquérito, entre outras tentativas de ameaçar o contrato. Nem mesmo ações movidas pelo Ministério Público em relação a questões que poderiam parecer nebulosas prosperaram. 
 
O sonho do Elói
Com a ascensão do PT ao poder, quando Elói Pietá chegou à Prefeitura pela primeira vez, todos acreditavam que o império da Quitaúna chegaria ao fim. Afinal, o até então deputado estadual, quando se tornou candidato a prefeito, cansou de dizer que o “contrato da Quitaúna era escandaloso”. Logo que assumiu o cargo, em 2001, em sua primeira entrevista coletiva, garantiu que era questão de dias resolver aquele problema. Mas foram necessários mais de 18 anos para que o sonho de Pietá fosse realizado, já com o PT defenestrado do poder. 
 
Acomodação
Depois de conviver oito anos com o lixo nas mãos da Quitaúna, concedendo reajustes e aumentando os contratos de coleta sem mover qualquer palha para mudar aquilo que chamava de escandaloso, Elói – além de rasgar seu discurso de campanha - ainda assistiu as duas gestões de seu sucessor Sebastião Almeida fazendo o mesmo que ele. Se tivesse alguma coerência, o ex-prefeito viria a público para cumprimentar Guti por ter feito aquilo que ele e Almeida nunca conseguiram (ou não quiseram). 
 
Novo vereador
O tucano João Thomaz, suplente de vereador, assumirá pela primeira vez o mandato neste início da legislatura 2018. Ele deixa o cargo que ocupa na Prefeitura para ocupar uma cadeira na Câmara Municipal, nesta quinta-feira, dia 1º, com direito a convite para sua posse enviado a amigos e familiares, até via redes sociais. 
 
copyright guarulhosweb

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário


estadao brasil Leia Também