Guarulhosweb
WhatsApp:(11) 9 4702.3664

Para presidente da CEI, liberação de áudio para Zeitune aumenta risco de vazamento

Paulo Manso    06/03/2018 11:06

 

Na primeira reunião da Comissão Especial de Inquérito (CEI) instalada para averiguar denúncia contra o vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede), na manhã desta terça-feira, 06/03, na Câmara Municipal, os vereadores decidiram enviar os áudios que motivaram a abertura da investigação apenas para o acusado e para o presidente da Casa, Eduardo Soltur (PSD), para que este encaminhe os arquivos para perícia judicial.
 
A decisão foi aprovada por nove dos 11 membros da CEI – Geraldo Celestino (PSDB), Eduardo Carneiro (PSB), Genilda Bernardes (PT), Carol Ribeiro (PMDB), Serjão Inovação (PSL), Toninho da Farmácia (PSD), Luiz da Sede (PRTB), Moreira (PTB) e Acácio Portela (PP). Romildo Santos (DEM) não estava presente no momento da decisão. O presidente da CEI, Marcelo Seminaldo (PT), se absteve de votar.
 
Para Seminaldo, o áudio deveria ser divulgado para a imprensa nesta manhã. “Agora o risco aumenta de o áudio vazar porque o vice-prefeito passa a ter também acesso a ele. Enquanto estava apenas sob a jurisdição da Câmara Municipal a gente tinha mais controle sobre isso”, afirmou ao GuarulhosWeb ao final da reunião. “Isso tira da Câmara a responsabilidade no caso de vazamento dos áudios. Se o vice-prefeito quiser enviar a quem bem entender ele tem todo o direito a partir de agora”. O petista entregou o pen drive com os arquivos para Tiago França, assessor de comunicação de Zeitune, presente no Legislativo.
 
“Eu queria que os áudios fossem abertos ao público. O próprio Zeitune disse que queria que isso se tornasse público. Mas entendo a preocupação dos demais vereadores em preservar o acusado antes da perícia”, completou Seminaldo.
 
A decisão de enviar os arquivos para um perito foi proposta pelo vereador Geraldo Celestino. “Não podemos fazer dessa CEI um palanque eleitoral. Temos que mostrar responsabilidade. Não há como dar continuidade nos trabalhos da CEI sem saber se esses áudios são verdadeiros”, defendeu.
 
Houve, também, discussão sobre o que fazer durante o período em que os áudios ficarão sob análise pericial. Parte dos membros da CEI defenderam que ela deveria ser interrompida até que o resultado da perícia fique pronto. Outra parte achava que isso poderia configurar cerceamento da defesa de Zeitune. Ficou decidido que o vice-prefeito será notificado a se manifestar por escrito se deseja ser ouvido pela CEI mesmo antes do resultado da perícia.
 
Zeitune também poderá indicar um assistente pericial para analisar o resultado do laudo que será feito pelo perito contratado pela Câmara.
 
Além dos vereadores membros da CEI, estiveram presentes na reunião os parlamentares Sandra Gileno (PSL), José Luiz, Edmilson Souza e Rômulo Ornelas (todos do PT), Wesley Casaforte (PSB) e Laércio Sandes (DEM).

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário