Guarulhosweb
WhatsApp:(11) 9 4702.3664

Óbitos por gripe dobram no país, mas procura por vacina segue baixa nas UBS

Redação Guarulhosweb    08/06/2018 17:07

 

Embora Guarulhos não tenha registrado nenhum óbito por influenza, no país os óbitos mais do que dobraram nas últimas três semanas. De acordo com a última divulgação do SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação) do Ministério da Saúde, atualizado em 28 de maio, o Brasil chega a 334 mortes por influenza, sendo que deste número, cerca de 70% apresentaram pelo menos um fator de risco para complicação, com destaque para pessoas maiores de 60 anos, cardiopatas, diabetes mellitus e pneumopatas, todos priorizados na Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe.
 
São Paulo é o estado com mais óbitos por influenza. São 71 mortes, seguido do Ceará, com 57 e Goiás com 55. Além disso, o H1N1 é o vírus que mais mata no Estado. Dos 225 casos registrados, 41 foram a óbito. O H2N3 infectou 91 pessoas, sendo que 13 morreram. O tipo A causou 11 mortes dos 99 casos, e o B, seis óbitos dos 47. No total são 462 pessoas infectadas por Influenza somente em São Paulo, que está abaixo da meta da cobertura vacinal.
 
Em Guarulhos não é diferente. A uma semana de encerrar a Campanha Nacional de Vacinação Contra Gripe, a cidade imunizou 169.696 pessoas até o momento, o que corresponde a 58,33% do público-alvo da campanha. A meta é vacinar 90% deste público. A vacina está disponível em todas as 69 UBS (Unidades Básicas de Saúde) da cidade e, no sábado, a população poderá se imunizar nas UBS Cecap, Novo Recreio, Seródio e Santo Afonso, das 8h às 16h.
 
Devem ser vacinados trabalhadores da saúde; pessoas com 60 anos ou mais, indígenas; crianças de seis meses até menores de cinco anos; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); pessoas com doenças crônicas (com solicitação médica); professores; pessoas privadas de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas (Fundação Casa); e funcionários do sistema prisional. Todos fazem parte dos grupos suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. Portanto, foram escolhidos como público-alvo da vacinação pelo Ministério da Saúde, com recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS).
 

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário