Guarulhosweb
Guarulhosweb

José Roberto Vitorelli - Inovação e empreendedorismo para crescer

Redação Guarulhosweb    28/03/2019 14:49

 

A inovação é o motor que dá longa vida a qualquer organização, mas, o que torna uma empresa mais inovadora que outras?
 
Ao longo das últimas décadas, muitos dos principais pensadores de administração têm enfatizado a importância da inovação, não apenas para o crescimento das organizações, mas também para sua própria existência. Hitendra Patel, um dos maiores experts no assunto, incentiva os empreendedores e empresários a pensar e investir em inovação de forma constante. 
 
Embora as indústrias tradicionais e as organizações da nova era tenham contribuído com sua força para criar (e às vezes destruir) riqueza, no mundo de hoje, os empreendedores estão desempenhando um papel cada vez maior, trazendo produtos e serviços inovadores, que talvez nunca foram vistos antes.
 
Em um mundo que nunca será o mesmo, as empresas que não souberem adaptar-se aos sinais correm um grande risco de se acabarem. Empresas como a Kodak, império com mais de 144 mil colaboradores em seu auge, e com o domínio de 80% de todo o papel fotográfico vendido globalmente, ainda que tendo inovado durante décadas, a Kodak não observou e nem mesmo adaptou-se aos sinais de seu ambiente externo, sucumbindo ante o mercado digital. Igualmente empresas do setor de fitas cassete, disquetes, etc.  Quem imaginaria que uma organização que não possui um veículo sequer em seus ativos, poderia tornar-se referência em serviços de mobilidade urbana em nível mundial (Uber)?
 
Ao Longo dos tempos nota-se que Inovação gera a sobrevivência das empresas e organizações em diversos setores, mas o que as torna mais inovadoras que outras? O espírito empreendedor é certamente um dos fatores chave. Além deste, algumas lições passadas por Hitendra Patel parecem significativas:
 
1 – Quanto mais pontos, maior a inovação - “Inovação é como você pegar diferentes ideias e as relaciona de formas diferentes”. Para explicar seu raciocínio de maneira bem didática, Patel usa a geometria como metáfora. Se você possui três pontos, obterá poucas formas ao ligá-los, um triângulo ou uma linha reta, por exemplo. Se você tiver quatro pontos, poderá fazer um quadrado, um retângulo e linhas em diferentes formatos e, assim, maiores serão as suas possibilidades de ligação e, consequentemente, de inovação.
 
2 – Conectar os pontos de maneira diferente - Depois de aumentar seus pontos, Hitendra Patel destacou que para chegar à inovação é preciso ligá-los de maneira diferente da maioria. Se você tem quatro pontos, a primeira forma que pensa deve ser um quadrado ou um retângulo. Para Patel, o ideal é que se faça um exercício, pensando em como poderia uni-los de outras maneiras, buscando sempre novos modos diferentes de resolvê-lo.
 
3 – Plantar hoje para colher amanhã - A maioria das empresas só pensa em fazer inovação de fato quando encontra algum problema que ainda não tem solução. Mas o que você faz hoje, daqui a dois ou três anos já estará velho, diz Patel. Portanto, é preciso começar a pensar e investir em inovação hoje, para colher os frutos quando o problema surgir, e não esperar que ele bata à sua porta, quando talvez não haja mais tempo.
 
4 – A colaboração acelera a inovação - Patel destaca que muitas vezes outra empresa pode ter a solução de um problema que você está procurando, da mesma forma que você pode ter a solução para algo que essa mesma empresa ainda não conseguiu resolver. Por isso compartilhar os problemas é uma ótima forma de acelerar a inovação.
 
5 – O caminho para o sucesso não é uma linha reta - Você teve uma grande ideia, ligou os pontos, pensou de maneira inovadora e chegou a hora de botar a mão na massa. Afinal, será a execução da ideia que trará o retorno financeiro. Mas a principal questão é: entre ter uma ideia e alcançar o retorno financeiro, o caminho é longo, e não é uma linha reta! É uma estrada com muitas voltas.
 
Segundo Patel encontrar sempre barreiras no caminho, momentos em que será necessário desviar por atalhos, outras vezes, perceber que aquela não era a direção certa, buscar outro caminho, fazer várias voltas. Mas tudo faz parte da aprendizagem.
 
“É preciso se preparar mentalmente para essa viagem, porque a maioria desiste no primeiro obstáculo. Quando você tem uma ideia, não sabe o que vai encontrar pela frente para colocá-la em prática, e os que vierem depois de você seguirão seus passos no caminho que você trilhou”.
 
Por fim, Patel resumi a inovação em três “P”: paixão, persistência e paciência. Esses são os ingredientes fundamentais para alcançar o sucesso em seus negócios. 
Vá em frente e não desista!
 
José Roberto Vitorelli é especialista em Internacionalização, Logística e Vendas. É diretor de Comércio Exterior da ACE-Guarulhos e coordenador do Núcleo de Comércio Exterior do Ciesp 
 
copyright guarulhosweb

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário