Guarulhosweb
Guarulhosweb

Jovens guarulhenses ganham o mundo por meio da música

Vinícius Bacelar / Imagens: Paulo Manso    18/04/2019 09:13

 

Recentemente, em março, o Teatro Adamastor recebeu a Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos. Não foi a primeira apresentação do respeitado grupo, mas a atuação de dois jovens guarulhenses chamou a atenção. Foi a primeira vez que os músicos Leandro Isaac, de 22 anos, e Erick Venditte, de 16, solaram juntos. E junto com a OJM. Ambos até já visitaram outros países para mostrar ao mundo um pouco da primeira arte.
 
Nascido em uma família de músicos, Erick é trompetista, por influência do pai, que também toca trompete, e morador do Jardim Munhos. "Para mim é mais fácil tocar do que falar", brincou o tímido jovem, antes de começar a entrevista com o GuarulhosWeb.
 
No entanto, depois que a câmera e o gravador foram ligados, ele se soltou um pouco mais. "Esta câmera é daquelas que fazem milagres e vai me deixar bonito?", divertiu-se. A entrevista foi feita no último dia 10 de abril, no mesmo Adamastor em que Erick se apresentou, solando ao lado do pianista Leandro Isaac.
 
Além do local escolhido para a entrevista ser especial, a data 10 de abril também é marcante para o músico. Foi neste dia, em 2017, que ele ganhou o Concurso Latino-Americano de Trompete, em Bogotá, na Colômbia. "Eu era o mais novo na competição, mas recebi apoio de todos e consegui superar as dificuldades", lembrou Erick, que já passou por França e Itália por causa da arte. 
 
CONFIRA O VÍDEO:
 
 

 
Relação com a música e com Guarulhos
"Não sei se a música chegou a mim ou se eu nasci na música. Meu pai é trompetista e toca em vários lugares. Minha mãe é pianista e dá aulas também. Então, cresci observando eles e outros parentes tocando. Isto foi me influenciando. Com cinco anos, dei indícios de que poderia tocar trompete e meu pai me guiou neste caminho", recordou ele, que é integrante da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo desde 2016. 
 
E foi com a orquestra estadual que Erick se apresentou pela primeira vez no Adamastor, em 2017. "Naquele dia, o trompetista venezuelano Pacho Flores solou conosco. É um dos maiores nomes da América Latina. Além disso, vi meus pais, professores e amigos na plateia. Foi uma experiência única", destacou. 
 
Questionado sobre o que falaria para os jovens que querem ingressar no mundo da música, Erick alertou que a área musical é difícil, porém prazerosa. "Comparo com a vida de um atleta que leva vários tombos. A pessoa tem que persistir. Até os maiores músicos já erraram. A música representa quase tudo para mim. Sem ela, seria apenas mais um jovem que ainda não achou o sentido na vida", pontuou. 
 
Jovem professor
Outro jovem guarulhense que tem se destacado na música é o pianista Leandro Isaac, que se apresentou com Erick e a Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos, no Adamastor, em março. Sua introdução na primeira arte aconteceu no Conservatório Municipal, local que oferece cursos gratuitos, no bairro do Macedo. E foi neste espaço que o pianista recebeu o GuarulhosWeb
 
Quando Leandro entrou no projeto, não foi nem para tocar piano. Ele teve aulas de violino e elas eram ministradas em outro lugar. No entanto, apesar da mudança de endereço, o músico se sentiu em casa no dia da entrevista. "Para mim é gratificante estar aqui de volta, com professores incríveis e amigos que colaboraram tanto para a minha trajetória. Foi no conservatório que a minha paixão por música começou. Os frutos que colho hoje, devo a esta iniciação", comentou. 
 
CONFIRA O VÍDEO:
 
 

 
Leandro recordou que, quando criança, pedia para seus pais colocá-lo em um curso de instrumento musical. "Então, comecei a ter aulas particulares de teclado. Fiz provas para o conservatório e para a Emesp [Escola de Música do Estado de São Paulo, na Capital]. Passei nos dois lugares. Em São Paulo, tive aulas de piano. Em Guarulhos, optei por fazer o curso de violino para diversificar", contou. 
 
O músico também se lembrou de quando viu sua primeira apresentação de orquestra. "Eu tinha oito anos e a assisti no Adamastor, com a regência do maestro Emiliano Patarra. Desde então, segui na música. Hoje não consigo nem dizer mais o que é a minha vida sem esta arte. Há muito tempo tive a certeza de qual era o caminho a seguir", disse Leandro, que ministra aulas há oito anos. 
 
"Comecei aos 14 anos, aqui em Guarulhos mesmo. Meus vizinhos me ouviam tocar piano e bateram na porta para perguntar se eu dava aulas. Uma vizinha achou que eu era bem mais velho. Ela se surpreendeu quando me viu [risos]", relatou. Atualmente, ele continua ensinando em aulas particulares, na cidade, e ministra cursos em duas escolas na Capital.
 
Na estrada
Por causa da música, Leandro já foi para os Estados Unidos, em duas oportunidades, Argentina e Inglaterra. "A primeira vez que saí do Brasil foi para ir à Argentina. Um pianista me viu tocar aqui e me convidou para ficar uma semana na casa dele, tendo aulas todos os dias e trabalhando o repertório que eu estava desenvolvendo", disse. 
 
Agora, o próximo passo internacional é tentar fazer um mestrado nos EUA. "Em uma das vezes em que estive lá, vi pianistas que nunca imaginei ver ao vivo", recordou.  
 
A exemplo de Erick, Leandro também deixou seu recado aos jovens guarulhenses que sonham em viver da primeira arte. "Quando falamos em música, não importa a idade, o sexo e nem outra coisa. Sempre é tempo de aprender. A gente tem uma missão de tocar e emocionar as pessoas com a música. E sermos tocados por ela. Isto tem um valor inestimável", ressaltou.  
 
Para o pianista, todas as pessoas deveriam aprender a tocar um instrumento, mesmo que não sigam carreira, pois os benefícios são enormes. "É uma área difícil como qualquer outra, mas para quem se dedica de verdade, sempre há lugar. E em Guarulhos, temos a vantagem de ter o conservatório. Um centro de excelência, com ótimos professores e cursos gratuitos", finalizou.
 
copyright guarulhosweb

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário