GuarulhosWeb | Na palma da sua m�o
Terreno baldio vira ponto de prostituição, drogas e violência no Jardim Santa Mena

Felipe Mathias - Foto: Silvio Cesar    24/08/2010 09:40
No ano passado foi liberado pela Secretaria Municipal do Esporte mais de R$ 500 mil para a entidade responsável pelo espaço par aprimorar o esporte amador na cidade

À direita, o aparente banheiro; ao fundo, a quadra À direita, o aparente banheiro; ao fundo, a quadra

 

 

Um terreno em frente à rua Segundo Sargento Fonte, no Jardim Santa Mena, tem servido como ponto de drogas, prostituição, violência e depósito de lixo, segundo moradores da região. O espaço, de uma associação desportiva da cidade, é considerado de utilidade pública - assim reconhecido pelo Projeto de Lei 013/2008.

Além disso, como publicado quarta-feira pelo Guarulhos Hoje, um jovem de 21 anos foi assassinado a tiros na semana passada ao lado do terreno.

A entidade responsável pelo espaço recebeu no ano passado, da Secretaria Municipal do Esporte, mais R$ 500 mil para desenvolver e aprimorar o esporte amador na cidade. Ao lado do terreno baldio está uma quadra de futebol abandonada. Lá, segundo moradores da região, é o principal ponto de drogas e prostituição. Uma pequena casa, que aparenta ser um banheiro para frequentadores da quadra, virou depósito de camisinhas usadas e pino de cocaína e crack. O local está em ruínas, com pichações, paredes quebradas e forte odor de fezes e urina nos cantos. A tela que envolve o pátio de futebol está cortada.

"Eu vejo muito gente estranha aparecer por aí, como travesti e o pessoal usando drogas", conta uma moradora da região. Ela ainda relata que foi assaltada dentro de casa e levaram seus pertences como aparelhos eletrodomésticos, brinquedos de seus filhos, entre outros. "Eu só estava com meus dois filhos dentro de casa quando bandidos entraram e levaram as coisas" conta. "Já estou procurando outra casa para morar", diz ela.

Além disto, os moradores também reclamam da sujeira que vai acumulando no terreno. "Passam os catadores de lixo e jogam tudo no local", conta Delia Goyo, 53 anos, que mora há 25 anos em frente ao terreno.

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. sergio 24/08/2010 20:20

    Será que a Prefeitura vai tomar alguma medida ? è importante o jornal continuar acompanhando.