GuarulhosWeb | Na palma da sua m�o
Mortes na igreja são acompanhadas de enredo de tragédia anunciada

Redação Guarulhosweb    17/02/2014 15:08
O gráfico Pedro Félix dos Santos deve ser considerado um foragido da Jusitiça, caso seja acatado o pedido de prisão temporária pela Polícia Civil.

 

 

Ele é o principal suspeito de matar a ex-mulher, o atual companheiro dela e ferir outras três durante o batizado do próprio filho, na igreja São Francisco de Assis, na região dos Pimentas, neste domingo.

O crime, que tem ares de tragédia anunciada, criou grande consternação não só entre os familiares das vítimas como na própria comunidade.  Ninguém poderia imaginar que, apesar da história recheada de ameças e de queixas na polícia de um contra o outro, tudo poderia acabar com mortes em um local considerado sagrado, diante do altar de uma igreja católica. 

Pedro Félix tem um filho de seis anos com a ex-esposa Viviane Rosa dos Santos, de 34 anos. O garoto era uma das 17 crianças que estavam sendo batizadas na manhã de domingo. O pai participava da cerimônia ao lado de pelo menos uma centena de fiéis e convidados. Junto a Viviane, entretanto, em vez do pai da criança, estava Rosildo Donisete Pereira, de 48 anos, que também morreu no ataque. Os dois foram alvejados com tiros certeiros na cabeça.


O filho do casal tinha acabado de ser batizado e estava de volta ao banco com a mãe e o companheiro dela. Neste momento, o suspeito teria sacado a arma e dado um tiro para o teto da igreja. Houve correria e pânico, enquanto Viviane e o atual companheiro dela foram atingidos na cabeça. Uma terceira pessoa, sentada ao lado, também foi baleada. Na saída, outras duas pessoas foram atingidas. O atirador fugiu.

Ainda no domingo, os policiais foram até a casa de Santos, mas ele não foi encontrado. A polícia também quer ouvir as três testemunhas baleadas.

Rosildo Pereira era casado há 22 anos com a costureira Silvana Ribeiro, de 46 anos, e mantinha um relacionamento extraconjugal com a ex-mulher do atirador. Era considerado um bom pai e trabalhador. Seis meses atrás decidiu deixar a família para assumir seu romance ao lado de Viviane.

Mas a história do casal antevia que tudo poderia acabar de forma trágica. Viviane chegou a registrar dois boletins de ocorrência contra o ex-companheiro, relatando ameaças e agressões.

Em 2005, a queixa foi por  lesão corporal e ameaça. Em 2011, o gráfico a acusou de ameaça. No mesmo ano, Viviane relatou desobediência à Lei Maria da Penha, afirmando que o ex-marido descumpriu ordem de se manter afastado dela.

Ainda segundo a polícia, o casal tinha dois filhos e se separou em 2010, após 12 anos de relacionamento. Viviane vivia há 6 meses com o atual namorado.

Viviane foi socorrida ao pronto-socorro dos Pimentas, mas não resistiu aos ferimentos. Já Pereira foi levado em um helicóptero da Polícia Militar para a unidade Itaquera do Hospital Santa Marcelina.

As outras três vítimas tiveram ferimentos de menor gravidade e foram encaminhados ao Pronto Socorro dos Pimentas, após serem atendidas pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Uma delas foi atingida no pé.

 

 

Todos os comentários e opiniões expressas são de inteira responsabilidade dos autores.

Comentários:

  1. Anônimo 19/02/2014 15:48

    Ela não foi baleada na cabeça! Foi no tórax!

  2. Maria 17/02/2014 15:27

    PORQUE MUITOS HOMENS NÃO SABEM PERDER

    E veem nas mulheres um objeto de prazer preferem destruir do que perder. E destroem os filhos , as sua paz e a vida de outros.Prisão perpetua p. esses covardes.