Guarulhosweb
Guarulhosweb

No mês das mães, conheça a história de mãe e filho que foram colegas de sala e se formaram juntos

Bárbara Maria / Agência Educa Mais Brasil    13/05/2019 10:28

 

Casada, mãe de dois filhos e com muitas demandas da vida profissional e pessoal. A rotina não impediu Cristiane Nunes, de 42 anos, de conquistar o diploma de graduação. E a motivação foi dupla: além do interesse por Publicidade e Propaganda, seu filho mais velho, Lucas Nunes, 22 anos, seria um dos seus colegas de faculdade. “Eu estimulava Lucas para que ele fizesse uma faculdade. Sentamos juntos, visitamos sites das universidades e começamos a pesquisar sobre os cursos", conta a mãe.
 
O gosto em comum foi descoberto enquanto pesquisavam sobre as graduações. “Estávamos procurando algo que fosse possível para ele mesmo pagar a faculdade. Não dava para sonhar com a minha”. Tudo mudou quando mãe e filho conheceram as bolsas de estudo ofertadas pelo Educa Mais Brasil.  Os dois foram contemplados com desconto de 70% nas mensalidades. “Com esse apoio, criei coragem e me matriculei junto com meu filho”.
 
Inicialmente, o objetivo era estudar em turnos opostos, mas o destino não quis assim. Cristiane se matriculou no turno matutino porque seria o horário que o filho caçula Mateus estaria na escola. Para sua surpresa, a turma não foi formada e ela acabou sendo transferida para o turno da noite, onde passou a frequentar a mesma sala de aula do filho. A ideia não agradou inicialmente. Os sentimentos de ansiedade e insegurança estavam misturados à novidade da vida universitária e acadêmica.
 
Alunos da Anhanguera de Jacareí, eles se preparam para um dos momentos mais aguardados, a tão sonhada formatura. A cerimônia de colação de grau vai ocorrer nesta segunda-feira, 13/05. Por quatro anos, mãe e filho dividiram a sala de aula e os trabalhos da faculdade. Agora, compartilham também o sentimento de gratidão. "Sou muito grato e privilegiado. Estou muito feliz em compartilhar com a minha mãe um dos meus maiores sonhos", define Lucas.
 
Cristiane continua enxergando o filho como sua maior motivação. "Se não fosse pelo Lucas, eu nunca voltaria a estudar. Tudo isso aconteceu por causa dele. O sentimento é de realização em dobro". Lucas não descarta a possibilidade de seguir para a especialização, mas hoje opta por colher os frutos positivos de já estar trabalhando na área escolhida. Ainda assim, a família deseja continuar investindo nos estudos. "Talvez eu invista em uma nova graduação, é algo que eu estou analisando. Mas, inicialmente, estou pensando na minha pós-graduação", planeja Cristiane.
 
copyright guarulhosweb

 

 

Insira seu comentário

Seja o Primeiro a comentar esta noticia

Insira um comentário