Encarregado de Maduro comemora saída de grupo ligado a Guaidó de embaixada

Daniel Weterman - 13/11/2019 20:54


O encarregado de Negócios da Venezuela no Brasil, Freddy Meregote, comemorou a saída de um grupo ligado ao autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, da embaixada do país em Brasília.

"Hoje, eficazmente, conseguimos reverter o ataque genocida, inclusive, de parte dos inimigos do processo revolucionário, por um grupo de pessoas que são inimigas do processo bolivariano da Venezuela", declarou o representante, após a saída dos apoiadores de Guaidó do local.

O grupo deixou as instalações da embaixada 12 horas após a ocupação. Na versão deles, funcionários da representação permitiram que entrassem. Representantes ligados a Maduro, porém, afirmam que houve uma invasão.

"Foi violentado o espaço venezuelano no Brasil, o que é perigoso", afirmou Meregote, classificando a ação como um ato "desumano, agressivo e terrorista".

O representante venezuelano afirma que caberá ao governo brasileiro encaminhar punições jurídicas ao grupo de Guaidó e garantir a segurança dos funcionários da embaixada. A saída foi negociada com o Itamaraty, que garantiu a segurança aos envolvidos.

O presidente Jair Bolsonaro, que reconhece Guaidó como presidente interino, manifestou nas redes sociais repúdio à interferência. O comentário foi decisivo para as negociações avançarem. "A dificuldade começa com o reconhecimento de um governo fictício, um governo que não existe, e logicamente isto é o que vem com a presença de uma suposta embaixadora no Brasil", afirmou Meregote, em referência à embaixadora indicada por Guaidó no País, María Tereza Belandria.

Segundo o venezuelano, havia pessoas de outras nacionalidades no grupo que entrou na embaixada, o que, para ele, é "preocupante". Uma mulher identificada como boliviana passou mal durante o dia e foi socorrida pelos bombeiros. Os ocupantes colaram cartazes com a foto de Juan Guaidó nas instalações da embaixada, material que foi retirado mais tarde.

Em frente à embaixada, integrantes de partidos e movimentos de esquerda protestavam e cobravam a saída do grupo de Guaidó do local. Houve confusão no período da manhã e troca de ataques com apoiadores de Guaidó e do presidente Jair Bolsonaro, estes em minoria. Duas pessoas foram detidas pela Polícia Militar por agressão e, após ouvidas, foram liberadas. A PM e o Itamaraty não se manifestaram oficialmente.

Seja o primeiro a comentar esta notícia.


Participe! comente esta notícia
informe o seu nome.
@
por favor um e-mail válido
T

Veja Também

EUA e Irã entram em acordo para troca de prisioneiros

Os governos dos Estados Unidos e do Irã entraram em acordo neste sábado para uma troca de prisioneiros que levou a libertação do pesquisador...

07/12/2019 11:57
Negociações com EUA e Canadá prosseguem em Washington, diz Seade

O subsecretário de Relações Exteriores do México para a América do Norte, Jesús Seade, afirmou na noite de ontem que um novo acordo comercial com os...

07/12/2019 10:10
China/PBOC: Reservas internacionais tem queda de US$ 9,6 bi em novembro

As reservas internacionais da China caíram mais que o esperado em novembro, resultado de um dólar mais forte em relação ao yuan, segundo dados...

07/12/2019 08:41

Últimas Notícias

Cidades

Empresário destaca recente evolução da cidade e sinergia com a academia

É impossível falar sobre ensino voltado à inovação e tecnologia em Guarulhos sem citar o Colégio e Centro...

07/12/2019 17:15

Cidades

Família procura por jovem de 16 anos desaparecida na Vila Silveira

A estudante Giovanna Sousa Gomes, de 16 anos, está desparecida desde a manhã desta sexta-feira, 06/12, quando foi ao Colégio...

07/12/2019 13:45

Cidades

Carro capota após colisão na Dutra e duas pessoas ficam feridas

Um motorista que conduzia um Celta na Rodovia Presidente Dutra, KM 214, em Guarulhos, sentido Rio de Janeiro, perdeu o controle e colidiu com um Uno,...

07/12/2019 12:33